Pesquisar este blog

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

A merecida fama de prostitutas vulgares que nós mulheres brasileiras possuímos pelo mundo.


 Não. Você não leu a chamada do texto errada.  Nós mulheres brasileiras possuímos a fama de  prostitutas vulgares, periguetes, biscates, putas ou a palavra que você quiser designar as profissionais do sexo mundo afora. E sinceramente MERECEMOS esta infeliz fama.

Não estou chamando você pessoalmente de prostituta e nem eu sou prostituta. Explico melhor  mas antes fiz uma rápida pesquisa sobre turismo sexual.

-O Brasil infelizmente é uma das rotas preferenciais do turismo sexual no mundo.
- Italianos são os lideres em turismo sexual (povo que viaja atrás de prostitutas e sexo fácil) no Brasil e quem sabe no exterior. Mais de 50% dos clientes internacionais dessas prostitutas são italianos.
-O casamento é usado muitas vezes como fachada para o turismo sexual
-O mercado cresce na Itália. O perfil do prosti-turista italiano, que prefere fazer sexo com menores, é um homem de meia-idade, casado, com filhos, boa posição social e instrução média superior, OU um jovem entre 25 e 30 anos com desejos de se divertir. Muitos italianos procuram sexo com meninas menores de idade.
-Isto é senso comum e todo mundo sabe. O mercado de travestis e prostitutas na Itália é enorme. 
-Citei os italianos pois eles são os que mais praticam turismo sexual mas existem pessoas de outras nacionalidades.

Decidi escrever sobre este tema pois faz alguns dias umas 10 pessoas me procuraram para participar do Brazilian Day  aqui nos EUA (dia dos Brasileiros no exterior em nações que falam inglês). Fui umas vezes neste evento por ser guia de alguns brasileiros que não sabiam falar inglês e moravam aqui fora. Sempre odiei este evento não por ser do Brasil ou por ter brasileiros como fazem algumas brasileiros deslumbrados. Existem festas de outras nações comemorativas que as pessoas vão e se divertem decentemente. Queria que a nossa festa fosse assim. Mas não é o caso do Brasilian Day infelizmente. Esta festa tinha tudo para ser legal, com amostras de culinária, turismo e umas tradições decentes mas que no final das contas descambou para aquele imagem de idiota de bunda, samba, carnaval, funk, axé, Globo, garotas de programa, travestis, promiscuidade.

Vou usar desta analogia: Imaginem que triângulos vermelhos são mal vistos e os estrangeiros imaginam/ fantasiam que damos triângulos vermelhos para qualquer um na rua. Qual seria o modo mais lógico de agir? Evitarmos de darmos triângulos vermelhos e mostrar que possuímos quadrados, círculos e outros objetos de cores variadas. Os triângulos vermelhos são nesta analogia prostituição, promiscuidade, vulgaridade vistos erroneamente como simbologia da cultura brasileira.

O que é acontece hoje? Hoje a nossa imagem piora porque não somente triângulos vermelhos são mal vistos mas como continuamos a distribuir triângulos vermelhos, tornamos isso como símbolo nacional e fazemos isso como sinal de luta contra o sistema "opressor capitalista". Não é, Jean Wyllys e feministas? O Jean Wyllys por sinal quer legalizar a prostituição. Esperar o que de um BBB, né?


O que acontece? Os estrangeiros pensam que a mulher brasileira é aquela prostitua serviçal que dorme com qualquer um para mostrar a sua latinidade, por ser de sua natureza ser promíscua e vulgar. O que fazem muitas brasileiras querendo passaporte, as feministas querendo se afirmar e piriguetes? Pegam geral no exterior e fazem as atrizes pornôs passar vergonha. Ou seja, elas confirmam o que os estrangeiros pensam delas. Os estrangeiros falam, as estrangeiras falam, a conversa vai, aumenta, cresce e bum... Bomba. Mulher brasileira é automaticamente taxada de prostituta. Pode ter a origem quer for, idade, cor, tipo de pele e cabelo que for.

Durante a Copa do Mundo muitas achavam legar pegar os gringos geral para se auto-afirmar na luta contra o "Patriarcado e Capitalismo" opressores. Vejam a lógica feminista. Para lutar contra a nossa objetificação elas liberam geral para os gringos. Lógica??? Inclusive teve feminista incentivando a prostituição e esta vulgaridade no jornal.



Na época eu li um artigo de um jornal de SP de uma feminista paulistana dizendo que as mulheres tinham que pegar geral para lutar contra o "Patriarcado, Machismo e Capitalismo" opressores. Ou seja, a jornalista feminazi queria pegar os gringos e em especial os italianos (aqueles que lideram o ranking no turismo sexual).

Feminista alimentando turista sexual. Lógica?
 
E nossas artistas no exterior vendendo a nossa cultura? Que raio de cultura uma funkeira feminista desorientada vende na Suiça? Imagem abaixo..



 
 Porque temos culpa em geral? Porque vejo muita mulher brasileira fazendo vistas grossas sobre o assunto. A amiga é uma feminista maluca vagabunda que joga a nossa fama no lixo quando vai para o exterior e a amiga fica com medo de cortar relações ou expor a falsidade deste tipo de gente. Outras culpa o turista sexual mas aliviam a amiga que quis dar para o cara. Outra fazem como estas jornalistas feminista acima citadas ou artistas feministas que colaboram para a imagem mas depois fingem não saber o que acontece pois não lembram o que fizeram. Outra fingem acreditar nestas teorias feministas malucas que mais atrapalham que ajudam.

Quer eliminar o turismo sexual? Comporte-se decentemente, desmascare feministas, elimine estas pessoas de perto de você, corte a amizade, julgue e critique elas sem pena. Elas não tem pena quando jogam a nossa fama no lixo. E todas pagamos por isso.


Sobre o Brazilian Day: O que mais tem no Brazilian  Day é mulher brasileira feminista ou afetada pelo feminismo a caça de QUALQUER gringo para fazer sexo de primeira, engravidar e ter passaporte. Muitas mentem que amam o cara que se fosse um pedreiro da Paraíba elas nem iriam olhar na cara. Cortei relações com muitas outras mulheres brasileiras por isso. Sempre omito que sou do Brasil. Tenho vergonha de dizer isso. Uma festa tão bonita que hoje vende mais lixo em nome de uma brasilidade falsa e mentirosa.

 

4 comentários:

  1. Eu não tenho vergonha nem de ser brasileira e muito menos de ser ParaibaNA :) Eu lamento pela falta de informação dessas pessoas que jugam nosso país e às vezes a região nordeste sem conhecer. O problema do mundo é falta de informação, apesar da internet, que veio com a promessa de conectar e tornar a informação mais acessível. Eu concordo que é lamentável a imagem que muitos brasileiros e brasileiras (FALSAS feministas normalmente) vendem mundo a fora, e também que nosso governo; quando vende a imagem de mulheres nuas no carnaval em vez do próprio carnaval. O Europeu tem aqui do lado Amsterdam onde a promiscuidade, rola solta, mas eles acham mais fácil apontar o dedão e dizer "tu brasileira = tu puta", eu acho que isso tem mais haver com hipocrisia mesmo. Quando ao seu país, nunca fui nos EUA, não sei como é o nível da desinformação dos gringos que você precisa lidar no dia à dia.

    ResponderExcluir
  2. Realmente, em certos aspectos concordamos como você.
    Porém, aqui neste blog não apoiamos feministas. Estas querem legalizar a prostituição no BR e defendem sempre coisas absurdas. Ao mesmo tempo, devemos ter autocritica e devemos questionar o tipo de mulher se que se joga para estrangeiro enrolada naquela imagem estereotipada de mulher brasileira que nos atinge. Esta nos fere profundamente.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir