Pesquisar este blog

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Felipe Werdum, irmão de lutador do UFC pagando de justiceiro social e falando do que não sabe

             (O justiceiro social, Felipe Werdum (canto direito) ao lado do irmão  lutador do UFC)

 Na internet podemos achar muitas coisas. Fatos comprovados com pesquisa e lógica que geram bom debates. Mas muita porcaria também.

Apareceu um link na minha linha do tempo depois de uma amiga minha que mora aqui nos EUA ter comentado. Fui ver do se tratava e para a minha surpresa, assisti um show de besteira. O link era um vídeo de Felipe Werdum, irmão lutador do UFC, Felipe Werdum.

Felipe mostra o que é o perigo de ter dinheiro sem cultura, sem saber ler e ter estudado. Algo que me faz lembrar o LULA bandido de 9 dedos.

O rapaz provavelmente quer algum cargo político no Brasil no futuro e pelo jeito que fala e jargões manjados que usa vai fazer inveja ao Jean Wyllys.

Em um dos muitos vídeos que posta falando cheio de gírias, o justiceiro social Felipe Werdum afirma que não é de direita nem esquerda pois são tudo a mesma coisa. Embora possamos entender a falta de confiança nos políticos do Brasil, sabemos que existe uma enorme diferença entre direita e esquerda. Felipe aqui mostra a sua ignorância do assunto:

-Direita ( aqui representada por liberais e conservadores. O termo liberal aqui dos Estados Unidos é diferente do termo liberal do Brasil. Pelo texto ser em português nos referimos ao termo do Brasil)  : menos impostos, empregos e desenvolvimento para o povo sair de ajuda social do governo (bolsas esmolas), facilidade de abrir e fechar empresas com menos intervenção do governo, abrir o mercado para empresas de outros lugares para ter mais concorrência, valores definidos sobre o que é certo e errado, leis duras para bandidos, valores de base como meritocracia, família, apoio a democracia, armamento do povo que hoje perde a vida para bandidos armados, etc.

-Esquerda (aqui representada por socialistas, comunistas e afins): Estado baba, impostos para pagar mais bolsas esmola, intervenção do governo em tudo ou quase tudo, mercado fechado para o mundo ou aberto para aqueles empresários apadrinhados do Estado, relativismo moral, desarmamento do povo enquanto bandido anda armado, apoio a ditaduras enquanto fala de democracia, aborto, feminismo e tantas outra coisas.

Ou seja, Felipe, existe um mar de diferença entre direita e esquerda. Ninguém pode comparar Ludwig von Mises, Olavo de Carvalho, Roger Scruton, Milton Friedman entre tantos outras pessoas mais a direita com psicopatas esquerdistas como Karl Marx.

Felipe por sinal anda todo preocupado com o Brasil mas MORA AQUI NOS ESTADOS UNIDOS (hipocrisia???), aonde existe a esquerda também (democrats). O que diferencia os EUA do Brasil é a grande quantidade de pessoas e valores com base mais ligadas a direita. Por isso aqui não existem muitas leis trabalhistas mas os trabalhadores ganham mais, trabalham mais e ficam felizes de vir trabalhar aqui (muitos fugindo de terra natal mais ligadas a esquerda como no caso Cuba).
 
Felipe vai além ao vomitar besteiras. Culpa a classe média e ricos por serem contra os pobres e defende pessoa revoltada que vira bandido pois tem inveja e falta de oportunidade. Mas Felipe é classe média, tendo ido morar na Espanha e Estados Unidos desde muito cedo. O irmão é lutador e ganha o pão tendo contrato com a maior empresa norte-americana de lutas do planeta. Felipe dirige carro norte-americano (com poucos impostos graças a luta de direitistas norte-americanos) e faz vídeos do seu I-phone.

Teria um ladrão razão de atacar Felipe por ele ter conforto e dinheiro? Para um direitista que tem como mantra a meritocracia e direito a livre propriedade, óbvio que não. Mas para o próprio Felipe, SIM.

Felipe faz uma salada de frutas nos seus vídeos. Acha que tudo se resolve na base da ajuda social (mas ele ajuda alguém?). Pois bem, direitistas sabem disso e muitos são cristãos, sendo que as igrejas e em especial a igreja católica faz caridade por séculos pelo planeta. Empresários muitas vezes ajudam muitas pessoas com empregos e outras coisas. João Dória é um exemplo disso em SP.

Somente falta dizer ser contra a violência sendo que o irmão é lutador de vale-tudo. Bela lógica, hein?

Ou seja, quem precisa se informar antes de dar "openeum" na internet é riquinho classe média do Rio Grande do Sul que tem a síndrome do Lula e se achar superior por morar aqui nos Estados Unios mas acha que falta de estudo e falar errado o faz ser mais popular. O tal populismo da internet.

Moro aqui no exterior faz mais de 30 anos, tendo netos e filhos aqui. Poderia arrotar arrogância como este rapaz faz e muitas outras pessoas fazem ao descerem do avião no exterior. Na verdade, sempre estou aprendendo e para aprender eu LEIO e ESTUDO.


Debater com quem quer que seja é saudável mas uma base mínima de conhecimento se faz necessária. E este talvez seja o maior problema do brasileiro que opina sem ter lido sobre assuntos que nem domina.




sexta-feira, 14 de abril de 2017

Profissão: dondoca feminista blogueira casada com gringo e vivendo no exterior



Morando fora por mais de 30 anos venho notando algo estranho faz um bom tempo.
A enorme quantidade de blogs escritos por madames dondocas feministas que tem como profissão terem casada com um gringo e contando futilidades na internet.

Este tipo tem um perfil clássico.

Sempre foi aquela feminista forte e moderna que reclama do turismo sexual e da imagem da mulher brasileira MAS foi se relacionar com um gringo que veio ao Brasil pelo carnaval ou se apaixonou pela vulgaridade da mulher brasileira.

Este tipo nunca se casaria com um pedreiro brasileiro por exemplo ou criador de porcos MAS no exterior se apaixona por qualquer profissional desde que gringo.

Em geral suportam politicamente a esquerda.

Ficam falando de futilidades no Facebook como o molho da comida aqui é assim, a chuva cai assim e outras besteiras.

Forte tendências feministas.

Se reúnem em grupos para fofocar sobre mais futilidades e ainda se acham intelectuais por isso.

Enquanto isso o marido fica bancando este tipo de mulher com trabalho sério enquanto elas fazem um trabalho aqui, outro acolá.

Desconhecem a historia do Brasil, da própria cidade e quem sabe da própria família MAS se acham as entendidas de museu e historia de outros lugares.

No Brasil achavam fritar um ovo opressão machista mas querem ser metidas a falar de culinária japonesa, tailandesa ou qualquer outra desde que gringa.

Possuem tanto orgulho do Brasil e de serem brasileiras mas foram morar fora e ainda deram a chave de periquita em um gringo carente ou turista sexual.

E hoje vivem contando nos seus blogs futilidades.

O caso mais chocante que li foi de uma brasileira que morava no RJ e saia muito no carnaval (moça de família, sei....) MAS de repente se apaixonou por um gringo na Alemanha e depois de uma semana veio encher o saco do coitado. O gringo morava em uma cidadezinha e criava vaca, javali e porcos. Tinha uma vida dura. E como era mais que óbvio fez a carioca funkeira amante de carnaval a acordar cedo e trabalhar.
A feminista funkeira ficou cheia de mimimi que a vida era dura e tudo o mais.

Ela achava quer iria ficar coçando a Janaína todo o dia enquanto o gringo trabalhasse pra ela.

Hoje se "apaixonou" por outro gringo com mais status e fica de mimimi no facebook que a vida é dura e vive no primeiro mundo.

Se alguém mora no exterior por mais de 20 anos vai perceber esta febre. E detalhe: falam tanto de igualdade, falam mal do capitalismo e de como a Europa e EUA exploraram o mundo (uma grande mentira) MAS se casam com os gringo de olho azul desde que tenham $$$.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Mulher brasileira: o câncer da imagem do Brasil no exterior



Navegando na internet podemos encontrar blogs e textos de muitos autores sobre um fato mais que consumado: a imagem da mulher brasileira, vista como prostituta e vulgar. Se o meu filho se relacionar com alguma brasileira vai ser deserdado. Falei isso pra ele.

Por eu ser mulher, trabalhar com turismo sério (um futuro post), viajando pelo mundo e morando nos Estados Unidos faz mais de 25 anos fico triste e ao mesmo tempo revoltada com o que vi no exterior. E embora muitas pessoas ligadas a esquerda culpam o destino pela esta infeliz imagem que nos persegue, cada dia tenho mais certeza que é a própria mulher brasileira que aumenta esta imagem nojenta.

Das mulheres brasileiras que moram no exterior, 90% queimam o filme de algum modo. E mostram como propagam o câncer da imagem do Brasil no exterior.

Mulher brasileira de qualquer classe social no exterior em geral demonstra ser:

1-Ignorante e deslumbrada com qualquer coisa de fora;
2-Mas se acha intelectual por isso e quer ostentar perante os outros;
3-Para se sentir integrada e conseguir uma vida com mais conforto sem esforço, faz sexo com o primeiro estrangeiro que aparecer;
4-Faz isso e vai comentar na internet ostentando homem pela nacionalidade;
5-Vai fazer bullying com mulher que é casada com brasileiro;
6-Vai se unir as amigas feministas para criar blogs de empoderamento e falar de como é moderna, enquanto o homem sustenta ela;
7-Vai trair o marido gringo com o primeiro brasileiro que aparecer;
8-Se ela muda de nação, vai seguir a regra de namorar, casar ou fazer sexo com o "novo amado" deste novo lugar;
9-Vai adorar dizer que é do Brasil, linda e poderosa, sempre aliando a imagem dela ao Brasil e sensualidade;
10- Vai usar e abusar de roupas vulgares embora umas santinhas sejam iguais ou pior;
11- Se der algum problema pra ela que vai se queimar e nos queimar, vai colocar a culpa na bebida;
12- Vai mudar de cidade ou continente até achar um lugar que ninguém conheça ela e vai virar "santa";
13- Muitas acabam solteiras e culpam o planeta por isso;
14- Viram feministas de fé e querem legalizar as prostitutas;
15- Apelam pro relativismo moral;
16- Depois de se comportarem assim nas Olimpíadas e na Copa, atirando pra qualquer lado, ficam de mimimi falando mal do turismo sexual..

Salvo alguns casos aonde meninas e mulheres realmente sofrem com exploradores e bandidos, mais de 95% das brasileiras que moram fora tem nenhuma moral para falarem que sofrem. A maioria vai pro exterior pra caçar homem gringo e postar na internet. Mas fica de mimimi depois.

Quem trabalha com turismo sério e tente fazer um bom trabalho, vai sofrer mais sendo mulher. Passei por muitas por culpas destas prostitutas declaradas ou carinha de boazinha.