Pesquisar este blog

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

A indignação seletiva nos casos de violência entre homem x mulher e mulher x homem



Esta semana aqui nos Estados Unidos vi mais uns casos na TV chocantes. Quando morei na Europa eu lia no jornal, via na TV e também ficava abismada e ao mesmo tempo indignada com muitos destes casos. Eu e muitas outras pessoas ainda nos indignamos com casos de injustiça contra homens, contra mulheres, contra idosos e até mesmo contra animais. Felizmente algumas pessoas ainda mostram um certo lado humano ao se indignarem com injustiças.

Mas existe uma certa indignação seletiva por parte de algumas pessoas. E em muitos outros casos a vitima vira motivo de chacota.

Li pelos jornais aqui nos Estados Unidos casos de  violência entre homem x mulher e vice-versa. E aqui nota-se a grande diferença. Um homem ao agredir uma mulher é automaticamente culpado pela sociedade pois em "mulher não se bate" em hipótese nenhuma". Outros homens irão ameaçar o homem agressor. Outros homens se indignarão. As mulheres cantarão palavras de ordem (comandadas sem saber pelas feminazi) e o homem que for acusado de agressão vai ser punido duramente pela lei . A TV vai criar a imagem do homem agressor que justamente vai ser punido. O mesmo vale se o homem trair uma mulher. A sociedade vai justificar todo e qualquer motivo para trata-lo como vilão. Qualquer exagero vai ser tolerado e a indignação vai ser geral.

No caso inverso noto a indignação seletiva. Vejo os homens igualmente indignados com uma mulher criminosa similar a quando olham um homem agressor. Muita pouca coisa muda aqui.

Mas neste caso aonde a mulher agride GRANDE parte das mulheres permanece em silencio e não mostram nem 2% da indignação no caso da mulher agressora e homem que sofre a agressão como no caso da agressão da mulher pelo homem. Não é a toda hoje que os homens não querem casar ou se relacionar seriamente com ninguém.

A mulher pode cometer qualquer crime que a sociedade acha graça. No Facebook vejo pages com mulheres querendo que os homens seja destruídos, mortos, tenham o pênis cortado, virem gays e tudo o que é de pior para uma pessoa. Estas mesmas mulheres reclamam muitas vezes que falta homem no mercado. Mas é claro. Quem vai querer se relacionar com estas feministas malucas?

 Lembro do japonês da Yoki, lembro de muitos casos cantados em funks cariocas por mulheres feministas, vejo aqui nos EUA e Brasil aonde os homens são injustamente acusados de estupro e crime e pegam penas longas. Mas grande parte de muitas outras mulheres que me fazem ter vergonha de ser do mesmo gênero que elas se comportam com um bando de malucas. Mostram maldade, ódio, revolta, amargura e psicopatia. Elas nunca tiveram um pai amoroso, um irmão querido, um filho amado, um bom companheiro ou um tio bondoso? São estes grupos que muitas vezes dizem lutar pela "paz e igualdade" na teoria. Na pratica é um um grupo de mulheres psicopatas que atacam coletivamente.

Este tipo de mulher nem precisa ser feminista mas possui idéias feministas sem saber e faz aquele jogo de mulheres x homens sem o mínimo de empatia. Basta uma pessoa se revoltar contra um caso de injustiça que  exponha uma mulher e este grupo de justiceiras nao faz nada. Se omite. Elas vão mais longe. Irão taxar o homem indignado com a injustiça de "não gostar de mulher", "que vire um viado", "frustrado com algo no passado", "cornudo" ou então "defensor da ditadura e do capitalismo" (???).

Se for uma mulher honesta que se indigna com uma injustiça contra um homem cometido por uma mulher, este grupo de psicopatas vai taxar de Amélia, vendida, traidora e escrava do marido.

Por isto este movimento não me representa. Infelizmente umas mulheres caem no conto destas amigas da onça, acham graça de injustiças, não pensam por si mesmas e vao cada vez mais afastando pessoas boas.

Veja alguns casos abaixo: 

-Preso em 2003 suspeito de estuprar uma menina de nove anos, fica 3 anos atrás das grades até que teve a inocência provada. Ele foi estuprado pelos companheiros de cela e contraiu Aids.
http://noticias.r7.com/cidades/homem-preso-injustamente-luta-por-indenizacao-apos-contrair-hiv-em-estupro-no-presidio-10012014

-Homens que foram chamados de monstros pelas ex-mulheres e acusados de abusar sexualmente das próprias filhas. Depois de investigados, provaram inocência, mas não sem antes ter a vida arrasada. http://revistamarieclaire.globo.com/Comportamento/noticia/2014/09/ninguem-quer-saber-se-voce-foi-inocentado-diz-pai-acusado-pela-ex-de-abusar-sexualmente-da-propria-filha.html

sábado, 28 de novembro de 2015

Em defesa do livre mercado, do Uber e do motorista de Porto Alegre.



Ontem, nas redes sociais, nos foi repassado um vídeo que mostra um motorista do UBER, em Porto Alegre, onde o serviço começou recentemente, completamente machucado pela surra que tomou de taxistas. Bráulio Pelegrini Escobar, 40 anos, um trabalhador como tantos outros também teve seu instrumento de trabalho vandalizado.

Isto nos faz pensar: Se a lâmpada fosse inventada no Brasil, o sindicato dos produtores de velas, fariam com que a mesma fosse proibida e o Estado cobraria impostos do inventor por ter inventado ao mesmo tempo que os socialistas zumbis do estado no meio da escuridão atacariam quem usou o cérebro para criar algo melhor. Outros iriam pedir bolsa luz e chamar o inventor de opressor machista capitalista opressor....

Fica a pergunta: Porque o liberalismo incomoda tanto na América Latina? (Ou América Latrina infelizmente cada vez mais esquerdopata??) 

Cauê Cavalheiro Varella e Alexandro dos Santos Scheffer, taxistas, foram uns dos agressores e estão, temporariamente, presos. Estes marginais espancaram o motorista do UBER por medo e por serem um bando de selvagens. Sabem porque ambos odeiam o UBER? Porque o UBER, assim como o livre mercado, mostra suas fraquezas. São covardes que, diante de um estímulo comercial, vêem no serviço uma ameaça direta aos seus egos e à sua incompetência latente. A liberdade os assusta.  Para que melhorar seus táxis, se é muito mais fácil espancar um inocente trabalhador que ao invés de se juntar a sindicatos faz simplesmente o seu trabalhor? Para que oferecer um serviço melhor, se é possível intimidar os motoristas do UBER?

No Brasil, isso é completamente compreensível, e até estimulado. O exemplo que vem de cima é: não tenha nada por mérito. Faça o que for possível na marra. Roube, se corrompa, mas seja eleito. Não faça delação premiada, porque isso é coisa de cagueta, de X-9, parceiro! Não estude, aqui está uma cota para a pobre vítima. Tenha horror à liberdade, destrua as boas ideias, apele para sindicatos, para o vitimismo, coloque a culpa da sua falta de habilidade na opressão capitalista, xingue os patrões, ameaçe de morte os que discordam dos seus pontos de vista. Se possível faça isso sendo um ex-presidente, como Lula incitando o MST; ou faça isso na presença da presidente da República, como Vagner Freitas da CUT; ou num auditório lotado de estudantes, como o professor Mauro Iasi.

No Brasil as pessoas ainda caem no conto da esquerda boazinha que defende mais estado, mais sindicatos (como os do taxistas que espancaram o motorista do UBER). As pessoas no Brasil dizem odiar o governo mas querem passar em concursos, querem cotas, querem passe livre, querem almoço grátis, querem bolsa família. No Brasil o povo é tão ignorante que esquece que nada é grátis e tudo vai sair dos nossos impostos. O povo luta contra o estado ao mesmo tempo que quer ser um zumbi do estado.

Nossos representantes políticos tem muito de Cauê Cavalheiro Varella e Alexandro dos Santos Scheffer, há uma simbiose entre a violência estatal e a violência pessoal. Há um culto à ignorância no Brasil, e os troféus são variados: ministérios, cargos, propinas, conchavos e favores.

A cultura da violência no país do desarmamento não é de hoje. Anteontem, um senador da República foi preso no exercício do mandato, o famoso Delcídio do Amaral, mas a imprensa se esqueceu que outro senador já havia sido preso em flagrante: Arnon Collor de Mello, pai do nosso glorioso Fernando, matou um homem dentro do Senado, em 1963. Sim, dentro do Senado.

Cauê Cavalheiro Varella e Alexandro dos Santos Scheffer sabem, assim como nossos governantes, que não ficarão muito tempo atrás das grades. Sabem que o sistema judiciário, com raríssimas exceções, é falho. Sabem que as leis são frouxas até para um assassino.

Cauê Cavalheiro Varella e Alexandro dos Santos Scheffer, como todos nós, nasceram e foram criados para odiar a liberdade, a concorrência, o capitalismo. Eles, como nós, foram criados no capitalismo de comadres brasileiro, onde, no caso, os taxistas ficaram acostumados com uma zona de conforto extremamente ruim para os consumidores. Os bons taxistas entenderam o contexto e melhoraram seus veículos e serviços; os medíocres, na política e dentro de um táxi, continuam a vida rasa que sempre tiveram, com o pior tipo de sentimento que um ser humano pode nutrir: a auto-comiseração. Auto-comiseração que contou com o apoio da maioria dos vereadores de PSOL e PT, em Porto Alegre, que votaram contra o UBER.

Enquanto isso, a população local organiza o boicote aos táxis. Enquanto isso, também em Porto Alegre, a agressão tem o efeito contrário: propaganda grátis e legítima para o UBER.

Seremos um país de “vítimas” com auto-piedade? Ou seremos um país de trabalhadores que lutam para empreender? O UBER é uma reflexão para o Brasil.

Mas ainda nos resta a esperança e força de lutar por um livro mercado. O povo hoje sabe mais sobre este assunto. Bráulio Pelegrini Escobar, voce é um exemplo de pessoa e tem o nosso total apoio. Hora dos motoristas do UBER começarem a andar armados. Que tal? Devemos ser pacificos mas nao devemos ser atacados por animais como estes taxistas sem termos direitos de nos defender.


VIVA O LIBERALISMO. VIVA A LIBERDADE.

10 motivos para você ir morar na Nova Zelândia



Leitores e leitoras nos escreveram pedindo dicas sobre morar no exterior e em especial na Nova Zelândia. Embora eu more nos Estados Unidos na fronteira com o Canadá (legalmente como sempre recomendo) deixarei dicas aqui passadas pela minha irmã e o namorado dela que moram na Nova Zelândia e o motivo deste lugar ser o que é.

Uma terra liberal ( Terceiro lugar no Índice de Liberdade Econômica): Esta pequena nação favorece empresas e quem quiser trabalhar por conta própria. O governo pouco se mete na vida do empresario e da população. A Nova Zelândia favorece o livro comércio e passa longe do modelo antiquado fascista socialista comunista que é pregado nas universidades brasileiras. Mercado livre, muita competição e mais responsabilidade do indivíduo. Isto é um exemplo de terra liberal. Tudo isso gera preços baixos.

Poucos impostos: Este quesito é ligado ao liberalismo. O governo é pequeno e não fica cobrando por burocracias idiotas e assaltando o povo com impostos. O Brasil não possui os impostos mais altos do mundo como mentem pela internet. Mas estamos longe de ser uma Nova Zelândia.

Uma nação pacífica em casa: A Nova Zelândia é um dos quatro países mais pacíficos do mundo (primeiros da lista), de acordo com o índice de 2015. Existem assaltos e crimes mais são uma raridade.

Direito de andar armado: Leis de armas da Nova Zelândia são notavelmente mais liberais do que outros países do Pacífico e concentram-se principalmente em vetar alguns malucos proprietários de armas de fogo, em vez de registrar armas de fogo ou proibição de determinados tipos de armas de fogo. Pessoas normais e com bons antecedentes criminais podem obter armas de fogo sem muita intervenção do governo.

Policiais andam armados para proteger quem precisa: Policiais usam carabinas M4, pistolas Glock e Tasers que são normalmente transportadas em carros de patrulha. Embora o índice de crimes seja baixo a policial tem capacidade de se defender e defender o povo.

Segunda nação menos corrupta do mundo: No Índice de Percepções de Corrupção de 2014 em uma lista de 174 países, o Brasil foi classificado na 69ª posição entre 175 países e territórios, empatando com Bulgária, Grécia, Itália e Romênia mas ficando atrás de Chile (22°), Uruguai (19°) e da maioria dos países da Europa e América do Norte. A Nova Zelândia ficou em segundo lugar. Quanto mais perto da primeira posição menor é a corrupção.

Nação que luta contra terroristas e comunistas ao invés de se omitir: O governo da Nova Zelândia atua desde a década de 60 contra comunistas e terroristas. Atuou no Vietnan, Kuwait, Bósnia, Afeganistão. Possui unidades militares de sucesso que atuam na luta contra os valores ocidentais. Tais unidades foram baseadas no modelo exemplar das forças armadas britânicas. As pessoas são orgulhosas do soldados da Nova Zelândia. 

Rugby e esportes em contato com a natureza: A Nova Zelândia é a terra do rugby, um jogo maravilhoso. Um jogo duro mas que exige muito trabalho em equipe e muito da parte física. O time da Nova Zelândia é um espetáculo a parte pelo show que fornece ao publico. Por ter uma vasta beleza natural este lindo lugar também favorece quem quiser praticar esportes em contato com a natureza.

Beleza naturais: Belezas naturais são outro atrativo. A Nova Zelândia possui matas, montanhas, neve e variados tipos de paisagem.

Veja mais em opovodeslumbrado.blogspot.com/2015/10/corrupcao-liberdade-economica-e-outros.html sobre estatísticas em relação a economia e comparação da NZ com o Brasil.

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Selvagens e geração mimimi : Paris, Mariana. A triste competição que uns fazem com tragédias no facebook e Twitter



Este ultimo mês foi trágico para a humanidade. Na Europa terroristas representando o Islã mataram mais de 100 pessoas em Paris, cidade querida do Chico Buarque. No Brasil  a agua fez um estrago absurdo em Mariana (MG), ES e outros estados. Outras coisas absurdas aconteceram na Rússia e na África aonde mais terroristas  infelizmente trouxeram desespero, dor e morte para familiares e a humanidade. As redes sociais foram inundadas com mensagens de respeito, dor e suporte para familiares e povos destes lugares. Muitas pessoas colocaram a foto do perfil junto com a bandeira da França  e outras hoje clamam por justiça. A França enviou mensagens de pesares ao Brasil sobre o caos que aconteceu em Mariana (MG) (veja aqui) e outros acontecimentos foram marcados com respeito. Claro que isso não vai mudar os acontecimentos ou parar o terrorismo ou desastres. Mas como uma mensagem/  símbolo de respeito as redes sociais foram inundadas com comentários que mostram um certo grau de humanidade e respeito.

Infelizmente, um grupo de pessoas que não sei como definir começaram a criar uma competição idiota sem motivo sobre  estas tragédias no Facebook and Twitter.A geração mimimi de hoje formada por gente chata, justiceiro de rede social.  

Algumas das muitas frases citadas pela geração mimimi, justiceiro de rede social são chocantes:
A) Ao compartilhar uma imagem do surfista Carlos Burle no Facebook (aqui) que postou uma simples mensagem de apoio as pessoas de Paris que sofreram um ataque terrorista o que mais aparece é justiceiro social corrigindo o surfista com mensagens tipo:  "Orem por este aqui também, não esqueçam desta que foi pior, Vendido vira-lata, fale desta outra tragédia que foi pior".....
B) Brasileiros idiotas e selvagens que moram aqui nos EUA e não aprenderam a serem civilizados e acham tudo modinha, pregam um patriotismo Copa do Mundo e falam mal do Primeiro Mundo (aonde moram e ganham a vida). Nos referimos a este tipo de pessoa no passado. Ganham dinheiro, compram eletrônicos mas não sabem ainda o que é educação e cultura. Vejam este selvagens que somente sabem falar palavrão e ficar de mimimi  aqui.
C) Nesta competição idiota criada por  geração mimimi e justiceiro de rede social teve sem noção que levantou do túmulo as pessoas mortas na boate Kiss de Santa Maria que foi "pior e merece ser lembrada".
D) Nacionalista e justiceiro de rede social acha que quem coloca a foto de Paris é "vendido, vira lata".

O comentário mais nojento que vi no facebook foi de uma mulher que colocou guerra entre classes para justificar esta  competição idiota. Veja isto aqui:



Não vou entrar no mérito dela xingar outra pessoa no debate. Vou focalizar nas justificativa dela que abusam de táticas marxistas:

".....Sim, precisamos levantar todos os nossos mortos, para que acordem os alienados que se condoem pelos estrangeiros (ricos e poderosos) e ignoram o sofrimento nos pobres, sejam eles brasileiros, africanos ou os próprios sírios atacados pela França...."

Povo Deslumbrado: Muitas pessoas no facebook mostraram respeito com outras pessoas. Nada mais. Claudia é uma nacionalista cega que parece nunca ter viajado para o exterior. Existem estrangeiros pobres e sem poder. Para começo de conversa esta soberba nacionalista brasileira dela cai por terra. Uma pessoa que fala imparcialmente sobre as tragédias não é alienada e sim perspicaz. Existem muitas organizações estrangeiras / pessoas que doam dinheiro e que ajudam outros povos bem mais que ela com o seu nacionalismo brazuca das cavernas. Nas favelas brasileiras as pessoas amam estrangeiros que doam muito dinheiro as vezes. Existem pessoas ricas e poderosas com certeza. Mas ser rico e poderoso é ruim?  Seria bom ser pobre e sem poder, nenhum? Mude-se para Cuba, socialista. Ignorar o "sofrimento dos pobres" é uma falácia. Ninguém ignora nada. Esta mulher começa a usar a guerra entre classes ricos x pobres em um momento de tragédia. Que tipo de pessoa faz isso? Uma pessoa com sérios problemas mentais.
 
"....Matou-se na noite do atentado menos pessoas dos que as que matam no Brasil por dia, ....."


Povo Deslumbrado: Claudia é uma pessoa descompensada. Matam-se no Brasil muita pessoas com certeza. Mas isso é culpa de quem? Da violência, dos bandidos e de uma certa parte do próprio povo brasileiro. Votam nos mesmos vermes. Ficam preguiçosos com a falsa brasilidade do carnaval, bundas e futebol por uma boa parte do ano. Defendem relativismo moral. Criam teorias malucas para votar em BBBs, acham que primeiro mundo é sinônimo de comprar, adoram viver de improviso ao invés de planejar. Concordamos com ela sobra a violenta sociedade brasileira que varia de acordo o lugar aonde moramos. 

Mas isto não desqualifica o atentado terrorista em Paris. Um atentado que visa destruir todo o Ocidente, inclusive o Brasil. A falha de um governo muito difere do outro motivo: um bando de selvagens que querem destruir a civilização Ocidental. E ao meu ver, este motivo é bem mais perigoso embora eu respeite a vida de todas pessoas que faleceram por este dias assim como a dor dos familiares.

"...mas sobre essas se calam, afinal eram brasileiros, pobres e em sua maioria negros. ..." 

Povo Deslumbrado: Claudia, como muito analfabeto funcional não sabe interpretar um texto ou é muito revoltada com este nacionalismo nacionalista. Neste momento de tragédia ninguém quer competir para ver qual tragédia é a pior. Além do mais agora não é o momento de ficar sendo racista e fazer o jogo de guerra entre classes brancos x negros, Claudia.
 

O que podemos aprender sobre este debate?
1) A tragédia de Mariana teve uma grande cobertura e discussão na mídia brasileira similar ao atentado em Paris. Se você não viu é por que não assiste jornal. Aqui do exterior eu via sobre isso sempre na internet.
2) Paris é uma cidade turística internacional (logo enormemente conhecida) comparada com Mariana, quer você queira ou não. Logo, internacionalmente as pessoas irão falar mais de Paris. Isso não quer dizer que vidas de uns sejam mais importantes que outros. 
3) Uma parte das pessoas não sabe usar a internet e não sabe o que é civilidade e educação. Você posta a bandeira da França, não valoriza o Brasil e é um vira-latas. Você posta a bandeira do Brasil, é fascista (Fascista é quem defende mais estado, imbecil).  Compra algo caro, é burguês. Comenta algo sobre uma mulher, é macho opressor. Simpatiza com uma causa a que não pertence, é oportunista. Fica alheio, é alienado. Escreve corretamente, é um chato defensor do academicismo. Relaxa no português, não merece credibilidade. Ataca a Dilma, é coxinha. Ataca o Alckmin, é petralha.Responde educadamente, é arrogante.
Responde amigavelmente, dissimula. Não há mais como postar ou pensar alguma coisa sem me tornar automaticamente outra desprezível. 

4) Mariana e Paris. Duas tragédias causadas pelo homem. Uma pela ganância, outra pelo terrorismo. Uma aqui e outra lá. Ninguém é obrigado, como estão dizendo por ai, a escolher uma pra orar, escolher uma pra ajudar. Ajude os que estão aqui, reze pelos que estão lá. Ignorar não ajuda aqui e não ajuda lá. E que Deus ajude os que estão sofrendo, e os de bem que ainda resistem por aqui.  
5) Tem gente achando que temos que escolher uma tragédia para chamar de "nossa"? Pessoas com mente doentias que parecem aqueles pacientes em sala de consultório que ficam disputando, com orgulho, que tem a doença pior. Doença.

Acorda gente! Compaixão, solidariedade e caridade não precisam de visto para entrar em nossos corações.




Orem por Paris e Mariana, seu povo, suas vitimas, façam algo, colaborem se puderam, mostrem respeito
E mande sua doação aos postos de coleta e bancos correspondentes para ajudar a população de Mariana, Paris ou outro lugar mais próximo que você morar (nosso blog tem muito alcance internacional).


Cabe lembrar aos nacionalistas citados acima que uma parte do povo brasileiro ainda é sem noção mas quer se esconder atrás deste nacionalismo idiota como se fosse o povo escolhido por Deus. Nos desculpem mas estamos bem longe disso. Existe muita gente boa no Brasil mas ficar com este nacionalismo imbecil é negar a realidade. Falta uma boa dose de empatia, civilidade e educação para uns selvagens que não sabem usar redes sociais. Negar fatos por este nacionalismo não vai fazer a nação um lugar melhor.

 


quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Brasileiros migram para o exterior por não se reconhecerem nos distorcidos e atuais valores morais do Brasil

Felipe Pereira recebeu a honra pelo seu heroísmo.

Pessoas decidem ir morar em outra nação por 5 motivos:

A- Trabalho. Melhor oportunidades de emprego, facilidade de abrir a própria empresa e maior poder de compra;
B- Mais qualidade de vida;
C- Mais segurança;
D- Experiencia sobre viver em outro lugar;
E- Relacionamentos sérios (sabemos que existe mulher brasileira feminista que libera geral/ se "apaixona" por homem estrangeiro por um passaporte ou status ao mesmo tempo que vende uma falsa brasilidade mentirosa de samba, carnaval e bundas. Mas não falamos aqui destas vadias. Falamos de gente séria neste caso E).
F- Brasileiros migram para o exterior por não se reconhecerem nos distorcidos atuais valores morais do Brasil.

Lembramos aqui que nem toda nação no exterior é melhor ou superior ao Brasil. Uma possuem pontos negativos, outras positivos. Outras são verdadeiros infernos na terra pior que o Brasil na maioria das coisas. Outras possuem a maioria dos pontos positivos.

Mas queremos falar sobre o maior fator que leva brasileiros a ir morarem fora hoje. Basta uma pesquisa na Internet para ver isso. Blogueiros e blogueiras de todas as classes sociais que decidem morar fora na sua maioria citam o fator F (Brasileiros migram para o exterior por não se reconhecerem nos distorcidos atuais valores morais do Brasil) como a principal causa de ir morarem fora. Talvez não com estas palavras mas depois de ler alguns blogs e escutar pessoas falando dos motivos que as levaram a morar fora acho que esta frase resume tudo.

Meu marido é ex- militar. Depois de sair dos fuzileiros navais, fez faculdade, mandou CVs, estudou idiomas e viemos morar fora. Ele possui colegas e amigos das Forças Armadas. Hoje muitos destes estão tentando se alistar no Exército dos Estados Unidos. Outros se alistaram na Legião Estrangeira francesa ou outras forças armadas estrangeiras. Vejam este caso aqui.

Isso diz muita coisa. Uma pessoa que vive em uma nação se dispõe a ir matar e morrer por uma terra que não é a dela. Muitos deles cansaram da burocracia, do sistema, dos concursos. Mas assim como migrantes que preferem fazer faxina e limpeza em outra terra, abandonam tudo para além de ter mais dinheiro, segurança e conforto, viverem em uma sociedade com certos valores que no Brasil são vistos como muito "civilizados".

Tais pessoas não se reconhecem nos distorcidos e atuais valores morais do Brasil.

Não que aqui nos Estados Unidos não existam valores distorcidos. Eles existem. Por outro lado, uma base da sociedade tem regras, normas, valores que formam a fundação de tudo. E na maioria dos casos isso é respeitado mesmo que os revolucionários Jean Wyllys existam também por aqui. Ou seja, existe um grupo de pessoas de todas as classes, cores e gêneros que evitam que a balança pese para o lado maligno da força como acontece no Brasil.

Assim, muitos brasileiros que não se reconhecem nos valores defendidos por Maria do Rosário, Luciana Genro, Lula, Dilma e Jean Wyllys preferem mudar do que lutar contra um sistema educacional, judicial, trabalhista e legislativo que não defendem o que tais pessoas querem. Ao mesmo tempo, podemos ver esquerdistas que dizem odiar tais lugares mas adoram viajar para passar férias.

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Por que tudo no Brasil é tão caro? Entenda de uma vez esta pergunta com o povo deslumbrado

  Melhor resumo na internet sobre o tema "Por que tudo no Brasil é tão caro? ".

 

1. Impostos

 

Sim, cerca de 40% do valor final de um produto industrializado vai para o governo, enquanto nos Estados Unidos e China a bocada é de 20%. Até nossos vizinhos Argentinos pagam bem menos, cerca de 24%.
O Brasil é um lugar aonde o Estado (Governo) quer ganhar impostos sobre qualquer atividade econômica do povo, logo, surgem muitos impostos: IPI, ICMS, Cofins, ISS, IOF, Cide e, talvez em breve outra vez, a CPMF (ela vai voltar?). 

Empresas quebram tanto a cabeça para se manterem dentro da legalidade fiscal, contratando profissionais de contabilidade que suam muito para encarar os percalços burocráticos e se manterem atualizados. Até eles não conseguem explicar aos clientes para onde vai o dinheiro de algo tão vago quanto o nome “contribuição social” sugere.


2. Impostos em cascata.

Não bastassem tantos impostos, ainda encaramos o efeito cascata. Ou seja, você paga um imposto e para manter a sua empresa funcionando e pagar os seus funcionários deve repassar no preço da mercadoria. Se fosse um ou outro imposto tudo bem. O problema é que a cada ação da empresa existe um imposto: Por exemplo, ICMS incide sobre Cofins e PIS. Logo, todo imposto a mais gera um produto mais caro.

3. Corrupção

O Brasil não ocupa o pior lugar no índice de corrupção como mentem pela internet. Postamos sobre isso em um post passado. Estamos similar a Itália. Em ambas nações a corrupção pega solta. Mais corrupção, mais gastos para manter a maquina do Estado funcionando e os ratos que se alimentam deste sistema. Pior ainda se o povo for conivente e omisso. Detalhe:  corrupção existe em todo o lugar. O problema é como os corruptos são punidos e como o povo age para punir estes bandidos.

4. Falta de liberdade econômica e intervenção do Governo em tudo. 

Falta de liberdade econômica quer dizer que existe muita atividade do estado em atividades de compra/venda/ impostos, etc. O Estado age como um intermediário e cria barreiras que dificultam a vida de pessoas que querem criar novas empresas. Logo, poucas empresas. Com poucas empresas vendendo um mesmo produto, os preços sobem. Se fosse o inverso e mais empresas fossem abertas, a concorrência aumentaria, os preços baixariam e as empresas para se manter no mercado teriam que fazer produtos de qualidade. Resultado: bons produtos, preços menores.

5. Luta absurda por status.

O Mercado é amoral. Ele segue o fluxo. Mercado de luxo existe em todos os lugares do mundo, desde o tempo dos fenícios. Mercado para pessoas mais pobres também existe. Ambos tem direito  de comprar.  Contudo, no Brasil de hoje, graças aos fatores acima, o alto preço de um produto muitas vezes é a única razão para se adquiri-lo e umas pessoas fazem de tudo para usar um produto mais caro e aparecer (Lembram da mulher que recebia bolsa família e queria pagar 300 reais por uma calça para a filha adolescente??)
Isso explica o fato do iPhone aqui não ser uma ferramenta de comunicação e produtividade, e sim, “celular de rico”. No Brasil tudo é coisa "de rico ou playboy". Há quem compre um iPhone só para fazer ligações. Por que não comprar um celular mais apropriado só para falar? Porque, para o dito cujo, é preciso mostrar que ele pode ter um iPhone.
O preço não é alto. É irreal. Afinal de contas, por mais caro que seja, sempre haverá gente se estapeando para comprar certos produtos. Pode-se cobrar o quanto quiser e até se inventar “taxas” absurdas para ganhar um dinheiro limpo de impostos e comissões. Por exemplo, R$ 100 extras a título de “taxa de conveniência” pelo ingresso de um show.

6. Escolas e Universidades lavam cérebros de estudantes e pregam o comunismo e socialismo como modelos.

O capitalismo é o melhor sistema econômico. Pode não ser perfeito, mas sempre vai ser superior ao comunismo e socialismo. Mas nossas universidades infelizmente ainda pregam o jurássico sistema comunista como modelo para nossos estudantes que a cada dia saem das aulas com cérebros lavados. Tais imbecis reclamam do Estado mas defendem um sistema que outorga mais poder ao Estado. Estas pessoas se tornam zumbis dependentes que alimentam assassino que somente gera uma coisa: impostos e miséria.

O que vocês acham sobre o tema?